Fazer artesanato vai além da simples criação de objetos. Quando praticado de maneira consciente e intencional, pode se transformar em uma poderosa ferramenta terapêutica, contribuindo significativamente para o bem-estar físico, mental e emocional. Descubra mais sobre como o artesanato terapêutico pode ser um aliado na busca por equilíbrio e saúde mental.

Aula de pintura ao ar livre pintando eu vivo mais Maricá
Aluna Ângela (minha mãe) em aula ao ar livre, do Projeto Pintando Eu Vivo Mais - Professor Robert Lima em Maricá. Foto: Acervo pessoal


1. A Natureza Terapêutica do Artesanato


Eu sempre desenhei, mas nunca havia pintado com tintas, no entanto, resolvi tentar. O resultado não foi tão bom assim, um pouco desastroso, mas me trouxe uma sensação de tranquilidade incrível, e dai por diante, não parei mais.

Robert Lima Professor do projeto Pintando eu Vivo Mais - Maricá RJ, contando sua história para o Museu da Pessoa.

O ato de criar, seja pintando, bordando, tecendo ou modelando, tem um efeito calmante sobre a mente. Aprofundar-se no artesanato requer concentração profunda, assemelhando-se a uma meditação que alivia o estresse e aprimora a foco. Esse processo criativo proporciona bem estar físico e mental por fatores que veremos melhor a seguir.


1.1 Mecanismos Neurológicos da Criação: Dopamina

Ao mergulharmos em uma sessão agradável de artesanato, desencadeamos uma série de reações em nosso cérebro. A dopamina, muitas vezes referida como o "hormônio da felicidade", entra em ação, atuando como um verdadeiro maestro neural. 

Cada detalhe bem feito, cada particularidade escolhida harmoniosamente libera uma onda dessa substância, amplificando nossa sensação de satisfação. É como se o cérebro nos dissesse: "Você está no caminho certo; continue assim!".


Cognição e Artesanato

Erika Rodrigues Colombo, psicóloga e doutoranda em Psicologia Clínica pela USP diz que:

Pessoas com Alzheimer, por exemplo, têm bons resultados trabalhando com música, principalmente aquelas que têm significado afetivo para aquela pessoa. É uma forma dela entrar em contato com essas memórias que vão ficando perdidas com o desenvolvimento da doença.

Engajar-se em um projeto artesanal é como um treino cerebral completo. Desde a concepção da ideia, passando pela seleção meticulosa de materiais até a solução criativa de desafios inesperados, cada etapa é um estímulo para nossa cognição.

Assim como um músculo que se fortalece com o uso, nosso cérebro se torna mais ágil, adaptável e criativo. O envolvimento com a arte ativo ou passivo, contribui para afinar nossa mente, tornando-a mais afiada e pronta para os desafios do dia a dia.


1.2 Meditação Ativa: o Fluxo Criativo 

Em um mundo repleto de distrações, encontrar momentos de profunda concentração pode parecer um desafio. No entanto, ao pegar agulhas, fios ou qualquer ferramenta artesanal, embarcamos em uma jornada rumo ao "fluxo". É um estado onde o tempo parece desacelerar, e cada movimento flui naturalmente para o próximo. 

Essa imersão total no processo artesanal proporciona momentos de alívio do estresse, e também melhora a capacidade de concentração.


2. Artesanato e Autoexpressão

O artesanato oferece uma plataforma para expressar sentimentos e emoções. Muitas vezes, os artesãos encontram na criação manual uma maneira de processar experiências, traumas e desafios pessoais. Moldar materiais e dar vida a uma ideia pode ser uma forma poderosa de autoconhecimento e autocura.


2.1 Peças que Contam Histórias

Cada vez que nos dedicamos a um projeto artesanal, não estamos apenas manipulando materiais; estamos costurando pedaços de nossa história. Assim, quando olhamos para uma peça artesanal concluída, não vemos apenas um objeto; vemos um capítulo de nossa vida, um registro tangível de nossa jornada emocional e criativa.


A Linguagem Silenciosa das Cores e Formas:

Há uma linguagem secreta entrelaçada nas escolhas que fazemos ao criar. A paleta de cores que selecionamos, a forma que damos a uma peça, os padrões que tecemos - todos eles carregam significados profundos. 

É como se cada escolha fosse uma palavra em um idioma silencioso, comunicando ao mundo fragmentos de nossa alma, nossas raízes, nossas esperanças e sonhos.

2.2 Processamento Emocional

Assim como um diário guarda segredos e reflexões, cada criação artesanal pode ser visto como um registro silencioso de nossa jornada emocional.  

Ao olhar para trás, essas peças se tornam testemunhas mudas de nossa evolução, lembrando-nos dos altos e baixos, dos desafios enfrentados e das vitórias conquistadas.

3. Comunidade e Conexão

Participar de grupos de artesanato ou workshops promove a socialização e a construção de relações significativas. A troca de ideias, a colaboração em projetos e o apoio mútuo criam um senso de pertencimento e fortalecem os laços comunitários.


3.1 Espaços Comunitários

Em meio à agitação da vida moderna, os espaços dedicados ao artesanato surgem como oásis de conexão humana. Mais do que simples locais de criação, são espaços de encontro, onde indivíduos compartilham não apenas técnicas, mas também histórias, sonhos e aspirações.


4. Artesanato Terapêutico e a Saúde Mental

Estudos mostram que o engajamento em atividades artísticas pode reduzir sintomas de ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental. O artesanato atua como uma válvula de escape, oferecendo um espaço seguro para expressar emoções e aliviar tensões.


Descobertas e Reflexões a Partir de Estudos:

Nas últimas décadas, pesquisadores têm se dedicado a explorar os benefícios profundos do artesanato para a saúde mental. 

Ao mergulharmos nas descobertas recentes, podemos vislumbrar o poder transformador do ato de criar, não apenas como uma atividade recreativa, mas como uma ferramenta legítima de terapia. 

Betsan Corkhill, artesã e coach de qualidade de vida do Reino Unido, descobriu, em um estudo com 3.545 artesãos, que o artesanato promove bem-estar, reduzindo estresse e aumentando criatividade. O estudo também mostrou que aqueles que praticam artesanato mais de três vezes por semana, sentem-se mais calmos e confiantes. 

Por outro lado, uma pesquisa divulgada na revista Neurology indicou que a prática artesanal pode diminuir as chances de lapsos de memória. Os dados mostraram que aqueles que se dedicam a atividades como pintura, escultura ou tecelagem são 73% menos suscetíveis a problemas de memória na velhice. Em relação ao risco de demência, a redução chegou a 45% em comparação com indivíduos sem envolvimento artístico regular.

Testemunhos e estudos convergem para uma realidade clara: o artesanato tem o potencial de aliviar tensões emocionais, oferecendo uma via de escape criativa para os desafios da mente.


5. Integração do Artesanato na Rotina Diária

Incorporar momentos de artesanato na rotina pode ser algo transformador. Mesmo que por alguns minutos, dedicar-se a uma atividade manual pode proporcionar momentos de tranquilidade e rejuvenescimento, equilibrando as demandas do cotidiano.


5.1 Mindfulness e Artesanato

Mindfulness, ou atenção plena, é a arte de viver plenamente no tempo presente de forma consciente. É uma ferramenta útil contra ansiedade e depressão.


Mergulho Profundo na Criação: 

Imagine cada cor, cada ponto ou cada traço, como uma âncora que te liga ao momento presente. O artesanato, quando praticado com atenção plena, transforma-se em uma dança meditativa, onde mente e mãos trabalham em harmonia, criando não apenas artefatos, mas também momentos de serenidade.


Pausas criativas: 

Já pensou em transformar aqueles minutos de espera ou pausa para o café em momentos de inspiração? Aproveitar os pequenos intervalos do dia para tecer, moldar ou pintar pode ser uma forma revigorante de recarregar as energias e trazer um toque de criatividade ao cotidiano.


Santuários de Criação: 

Ter um espaço dedicado ao artesanato é como ter um refúgio para a alma. Pode ser um canto na sala, uma mesa no quarto ou até mesmo uma maleta de ferramentas portátil. O importante é que esse espaço inspire e convide à criação, sendo um lembrete constante do poder transformador das mãos e da mente trabalhando juntas.


Rituais artesanais:

Assim como o café da manhã ou a leitura antes de dormir, a arte da criação manual merece seu espaço ritualístico. Dedicar um tempo e ambiente específicos para criar, faz com que cada obra não só exiba habilidade, mas também carregue intenção e presença, ganhando vida própria.


6. Modalidades de artesanato terapêuticos

Veja aqui uma lista com sugestão de artesanatos terapêuticos. Lembrando que estas são apenas algumas ideias, e o mais importante no artesanato terapêutico é encontrar uma atividade que você se identifique pessoalmente e que te proporcione conforto, expressão e tranquilidade.

1. Tricô e Crochê: A repetição de movimentos e a criação de peças podem ajudar a acalmar a mente.

2. Pintura e Desenho: Usar cores e formas como meio de expressão e relaxamento.


Aula de pintura ao ar livre pintando eu vivo mais Maricá
Aluna Ângela (minha mãe) em aula ao ar livre do projeto Pintando eu Vivo Mais de Robert Lima em Maricá- RJ. Foto: Arquivo pessoal. 

3. Mosaico: Criar imagens ou padrões usando pequenos pedaços de azulejos, vidro ou cerâmica.

4. Escultura em Argila: Moldar e dar forma à argila pode ser uma maneira tangível de processar emoções.

5. Jardinagem e Arranjos Florais: Cuidar de plantas e criar arranjos florais podem oferecer uma sensação de propósito e conexão com a natureza.

6. Decoupage: Decorar objetos usando recortes de papel ou tecido.

7. Quilling (Filigrana de Papel): Criar designs enrolando e moldando tiras de papel.

8. Macramê: A arte de fazer nós decorativos, criando belos padrões em peças como cortinas, pulseiras ou painéis de parede.

9. Bordado: A prática meditativa de bordar padrões ou imagens em tecido.

10. Tingimento Natural: Usar materiais como cascas, frutas e plantas para tingir tecidos ou fibras.

11. Cerâmica e Olaria: Trabalhar com argila, rodas de oleiro e criar peças únicas.

12. Patchwork e Quilting: Unir pedaços de tecido para criar designs acolchoados.

13. Jóias Artesanais: Criar colares, brincos e pulseiras usando diferentes materiais como contas, metais e fios.

14. Origami: A arte japonesa de dobrar papel, criando formas e figuras variadas.

15. Papercraft: Construir objetos tridimensionais a partir de papel, como maquetes, caixas e cartões.


7. Conclusão

Ao refletirmos sobre a importância do artesanato terapêutico, é evidente o seu profundo impacto em nosso bem-estar. 

Mais do que simples técnicas manuais, encontramos na criação artesanal uma oportunidade de conexão genuína com nós mesmos e com o próximo. 

Que possamos sempre valorizar e integrar essa prática em nossas vidas, reconhecendo seu poder transformador e curativo.


Bibliografia 

  • Pintando eu vivo mais. Robert Lima. Museu da Pessoa
  • Arteterapia produz efeitos positivos no tratamento de doenças mentais. Instituto de Psicologia da USP.
  • Artesanato e saúde: prática traz benefícios. Dr Consulta.

Gostou? Deixe um comentário! ;)

Alguma dúvida? Ficaremos felizes em ajudar!

Postagem Anterior Próxima Postagem